terça-feira, 30 de maio de 2017

Repensar as bibliotecas , respondendo as questoes de Raphaelle Batts


Foto de Soniamar Passot 2017


Sete anos apos obter o Diploma de Mestrado em Ciencias da Informacao e de Bibliotecas, Sônia Mara Saldanha Bach Passot, bibliotecaria brasileira retorna na ENSSIB para rever os novos conceitos das bibliotecas francesas, em espacos repensados. As descobertas realisadas poderao permitir melhores respostas aos anseios de  jovens estudantes universitarios no Brasil,   que esperam hoje, muito mais que emprestimo de livros,



1 - Depois de permanecer na  ENSSIB este periodo de tres meses  o que você considera importante,  deste aprendizado com colegas bibliotecarios franceses?

Durante meu estagio na  ENSSIB, tive a oportunidade de visitar lugares excepcionais  gracas a  Elisabeth Noël, diretora da Biblioteca. Estas  visitas e conversas me permitiram conhecer alguns profissionais e fiquei particularmente tocada pelo trabalho destes colegas   bibliotecários, pelos esforcos e  investimentos pessoais  que fizeram, em funcao destes novos espaços que criaram, pensando sobretudo ​nas gerações futuras. Estes colegas, trabalham continuamente com um olhar voltado para o  futuro, e fazem evoluir suas estruturas e suas praticas profissionais para adaptarem se as mudancas. Hoje no Brasil,  procuramos nos informar sobre as praticas culturais e patrimonais que ocorrem em alguns paises, para mim, particularmente na Franca, com o objetivo de nos inspirar, sempre tendo em vista que os nossos meios financeiros sao muito limitados. As estruturas que visitei na Franca me inspiraram e eu gostaria muito de poder trabalhar  algumas ideias interessantes, adaptando-as para nossa realidade.

Espaco Creativity learning Hub - Lyon 2017







2 - Durante a sua estadia na França e de suas  visitas a  outras bibliotecas quais  serviços ou coleções que você tenha  particularmente se interessado ou que te surpreendeu ?
Sem dúvida alguma,  fiquei encantada com a biblioteca do Instituto Nacional de História da Arte (INHA). A renovação do edifício criado em 1860 por M. Labrouste,  a magnifica estrutura e o mobiliario original integrado com os equipamento tecnologicos mais avancados  É o casamento bem-sucedido do  património histórico antigo e  o moderno, os avancos  tecnologicos, permeando o antigo. Esta abordagem de conservação e incrivel.
Esta concepcao, temos, de maneira muito timida no Brasil. As estruturas antigas são regularmente demolidas para dar lugar a novos edifícios. Por exemplo, a cúpula redonda do edifício mais antigo da Universidade Federal do Parana , onde hoje estao os cursos de Direito e psicologia  foi completamente arrasada durante uma renovação. Eu gostaria que pudessemos dar mais importância ao nosso património cultural e histórico, como na França. Poderiamos renova-los, recupera-los para os transmitirmos as geracoes futuras .
Biblioteca do INHA - Foto de Soniamar Passot 2017

Biblioteca do INHA - Foto de Soniamar Passot 2017









3 - De maneira geral, o que este estagio na ENSSIB te ensinou?
Este estágio na Biblioteca do ENSSIB me permitiu ter  um novo olhar sobre biblioteconomia. Devemos repensar as bibliotecas para atrair os jovens. Na minha juventude, iamos a biblioteca  apenas  para ler e ou buscar livros. Hoje, e uma outra realidade. Uma biblioteca deve fornecer novas ferramentas digitais e atividades relacionadas à tecnologia da informação e comunicaçao. Os novos espaços, que conheci na Franca, dedicados a estas tecnologias, chamados Learning Center "Centros de Aprendizagem" são o futuro das bibliotecas e fazem um enorme sucesso. Por exemplo, na Biblioteca da Universidade de Lille, esta  inovação atrai 1.800 alunos todos os dias. Estas novas praticas estao iniciando no Brasil, ja temos, por exemplo espacos nas bibliotecas para exposicoes, emprestimos de lap tops e certamente outras experiencias,  mas devemos ainda desenvolver, por exemplo, demonstracoes de equipamentos tecnologicos, como tablets de leitura, e oferecermos  emprestimos  de novas ferramentas tecnologicas. Nos vivemos uma expansao extraordinaria das novas tecnologias, e um momento crucial da historia comparada a revolucao industrial. O desafio dos bibliotecarios e de adaptar- se e proporcionar aos estudantes e usuarios das bibliotecas de viverem plenamente esta revolucao.