sábado, 3 de março de 2012

Aconteceu em 2008 !!!

Bibliotecaria da UFPR é aprovada em seleção de curso de Mestrado na França

Com viagem marcada para o dia 10 de setembro para Lyon, França, Sônia Mara Saldanha Bach – bibliotecária da Universidade Federal do Paraná desde 1998 – foi a primeira brasileira aprovada na mais recente seleção para o Mestrado da Escola Nacional Superior de Ciências da Informação e de Bibliotecas, a L’enssib (www.enssib.fr)     

               Concorrendo com outros trinta candidatos de vários países, ela ficou com uma das cinco vagas oferecidas para o curso gratuito e com duração de dois anos. Sua meta é voltar ao País ainda mais preparada na área da Cultura – ou Competência Informacional, como dizem os especialistas da área. “A L’enssib tem uma visão muito boa do Brasil, principalmente na área da educação”, comenta Sônia Mara. “Meu projeto tem como tema a Competência Informacional, que é uma nova porta aberta para o papel do bibliotecário hoje. O acesso à Internet abriu essa nova porta e é papel do bibliotecário ensinar como utilizá-la. Na biblioteca do Setor de Ciências da Saúde da UFPR – onde trabalho – faço pesquisas nas bases de dados da CAPES e o treinamento para os usuários. Com o mestrado quero aperfeiçoar isso, seguindo os padrões internacionais.”

“Minha idéia, quando voltar da França, é aplicar o que vou estudar lá em um projeto-piloto na Biblioteca do Setor de Saúde”, explica. ”Projeto que depois poderá ser expandido para as demais bibliotecas. Esse trabalho de pesquisa de referência eletrônica já é feito por outros bibliotecários em todas as Bibliotecas do Sistema de Bibliotecas da UFPR, profissionais nos outros setores, mas o que pretendo é aperfeiçoar a forma como é feito, fazendo a adequação aos padrões internacionais. O desenvolvimento dos recursos informacionais, das tecnologias da informação, a diversificação de suportes e as redes de bases de dados virtuais, reforçam a necessidade de formar os pesquisadores acadêmicos para utilizar de maneira eficiente e prática estes recursos, para que eles possam construir seu saber fazer (savoir faire) e exercer seus julgamentos críticos através de atividades de pesquisas. O desafio é definir os elementos estruturais de uma cultura informacional transformar isto em um programa contínuo de aprendizagem eficaz, visando construir um dispositivo formal, ou seja, uma nova disciplina”, diz a futura mestranda, explicando que na Europa esta já é inclusive uma disciplina oferecida em todos os cursos universitários e ministrada por bibliotecários.

SOBRE A ESCOLA FRANCESA
– A L’enssib tem por missão formar conservadores e bibliotecários na organização de documentos, desenvolvimento de informações científicas e técnicas, pesquisas em ciências da informação, biblioteconomia e história do livro.

Grande estabelecimento de ensino superior foi criada por decreto em 1992 e sucedeu a L'ENSB (École nationale supérieure de bibliothécaires), criada em Paris em 1963 e transferida para a Villeurbanne em 1974. No início de 1999, fez uma fusão com o Instituto de Formação de Bibliotecários, o que fez com que este seja o único estabelecimento nacional francês na formação de profissionais de categoria A na área da biblioteconomia.

MOTIVAÇÃO – O projeto de Sônia Mara é motivado nas mudanças ocorridas em função das novas tecnologias, com as quais as necessidades de pesquisas on-line e a utilização dos recursos eletrônicos são fundamentais para estabelecer uma infra-estrutura de pesquisa que possa sustentar o aprendizado dos clientes das bibliotecas.

A idéia de apresentar o projeto à universidade francesa veio ao longo da participação em diversos cursos de capacitação profissional. “Desde que entrei na UFPR, participei de vários cursos oferecidos pela Pró-Reitoria de Recursos Humanos e num dos últimos, no final de 2007, tive o insight. Fui incentivada a partir de um módulo do Curso de Desenvolvimento Gerencial e tomei a decisão final”, lembra. “Entrei na universidade como recepcionista e sempre procurei estudar. Fiz o curso de biblioteconomia, depois os cursos de capacitação da PRHAE, os de francês no CELIN – Centro de Línguas da UFPR – e agora o que quero é estudar para poder devolver à Universidade tudo o que ela me proporcionou.”


TRECHO DA CARTA DE SÔNIA MARA ENVIADA À L'ENSSIB SOLICITANDO A VAGA NO MESTRADO

“Eu trabalho como bibliotecária na Universidade Federal do Paraná desde 1998. As bibliotecas das instituições de ensino superior têm como missão o suporte à atuação da Universidade. É necessário considerar que a biblioteca tradicional está se adaptando frente às novas tecnologias, como as bibliotecas digitais. Já há nas bibliotecas universitárias brasileiras há preocupação em disponibilizar as teses defendidas, em meio digital, e para isso são formados bancos de teses e dissertações.

Nas 3.259 bibliotecas espalhadas pelo Brasil, encontram-se 32,2 milhões de títulos, totalizando 68,2 milhões de exemplares. Dos documentos disponíveis, percebe-se que livros e periódicos ainda são privilegiados, isso porque vivemos em uma sociedade que privilegia o papel impresso. Mas essa cultura está em processo de transformação, incorporando os recursos da Internet como fonte de informação.

Considerando um total de 200 dias letivos anuais, os 6,8 milhões de empréstimos equivalem a 0,089 livros emprestados ao dia por aluno, o que é uma quantidade muito pequena na vida universitária.

Na questão do acesso à informação por meio da Internet, nas universidades do País existem, em média, 9,5 alunos por computador conectados à rede, num total de 367.813 computadores. Essa relação de alunos por computador equivale a uma média diária de aproximadamente uma hora de uso de máquina por aluno, quantidade de tempo insuficiente para a produção de trabalhos acadêmicos e pesquisas científicas.

Sendo assim, implantar mais bibliotecas, elevar a quantidade de títulos e qualificar tecnologicamente os acervos acadêmicos deve ser uma urgente ação de governo pela excelência em nossas faculdades.
A Biblioteca do Campus da Saúde/Sede Botânico faz parte do Sistema de Bibliotecas da UFPR constituído por uma sede administrativa, 13 bibliotecas universitárias e uma biblioteca de ensino médio.

A Biblioteca do Campus da Saúde/Sede Botânico atende aos alunos dos cursos de Odontologia, Farmácia e Nutrição. Seu acervo é constituído de livros, teses e periódicos, além de obras de referências, disponíveis em formato tradicional ou eletrônico. Oferece serviços de empréstimo domiciliar, intercâmbio entre as bibliotecas, Intercâmbio de artigos de outras bibliotecas do país, treinamento no manejo de fontes de informação, físicas e virtuais; serviços de indexação e Referência.

Minha atividade atualmente é atender os clientes da Biblioteca. Orientá-los em seus trabalhos acadêmicos, com relação às pesquisas em bases de dados precisas na área da Saúde, fazer treinamentos nas bases de dados para professores, alunos de graduação e de pós-graduação do Departamento de Saúde bem como trabalhar com os assuntos relacionados à pesquisa em base de dados e bibliotecas virtuais.

Desta forma, meu projeto profissional agora, se dá em torno de um Mestrado que possa favorecer o desenvolvimento de minhas atividades como Bibliotecária de referência Eletrônica, que trabalha com a utilização dos recursos eletrônicos para estabelecer uma infra-estrutura de pesquisa que possa sustentar o aprendizado dos clientes nesta Biblioteca.”

Vivian de Albuquerque

Nenhum comentário:

Postar um comentário