segunda-feira, 10 de maio de 2010

Carta para uma amiga em Curitiba


Villeurbanne, 9 de junho 2009

O tunel do tempo

A vida é mesmo interessante e nos estamos longe de saber os propositos de Deus para cada um nesta terra. Hoje, passei por uma nova experiencia que gostaria de compartilhar com voce.
Ingles é um idioma importante para o desenvolvimento de habilidades e competencias neste mundo moderno e pleno de competitividade. Mas eu penso que na vida temos de fazer escolhas. Por isto, minha escolha foi, desde sempre, estudar frances. Passei pelo Curso de Letras na Universidade Federal Fluminense, no Rio de Janeiro e escolhi fazer letras Portugues – Frances. Mais tarde, quando entrei no Curso de Biblioteconomia, fui para o Centro de Linguas da Universidade Federal do Parana e fiz frances instrumental (dois anos) depois para a Aliança Francesa de Curitiba e là se foram gastos (além da parte financeira) seis anos da minha vida. Dedicaçao, aprendizado, alegrias e contentamentos por descobrir um idioma que sempre me atraiu e que eu tive o maior prazer em estudar. Continuo estudando, descobri aqui na França que nao sei nada.

No curso de mestrado aqui em Lyon, na Escola Nacional de Ciencias da Informaçao e de Bibliotecas, tenho uma disciplina obrigatoria de ingles.
Para mim, que pensei ter feito a escolha certa, foi uma decepçao ter que enfrentar esta verdadeira “batalha” . Por que escolhi frances? Me perguntei tantas vezes, tal o meu desespero diante de palavras que para mim nao tem significado algum.
Para encarar este aspecto anguloso fui buscar o significado da “representatividade” . Se nao tenho experiencias, nem conhecimentos anteriores, nao existe uma correspondencia entre mim e o idioma ingles. Logo o conceito de “representaçao” nao existe para mim. E me senti perdida.
Escolhi esta definiçao de representaçao para explicar minha angustia diante do desconhecido idioma ingles. «Imagens que condensam um conjunto de signigficados, um sistema de referencias que permitem interpretar alguma coisa que desconheciamos” (Jodelet, 1992).

Mas, é preciso ir enfrente. Mesmo se a cada semana, no dia do curso de ingles, terça feira das 9:30-13:00h entro na sala, tenho arrepios e sinto vontade de chorar. Procuro pensar que é apenas mais um desafio, um novo obstaculo e que Deus vai me ajudar a superar. Estou aqui para aprender, e quem sabe preciso aprender alguma coisa que consigo suportar no “limite” da minha vontade

Imaginar o que é, penso ser impossivel. Nao se pode imaginar o desconhecido. Precisamos ter um referencia e se alguém teve esta experiencia, certamente sabera. E preciso ter o sistema de correspondencia da representatividade consciente, para poder se colocar no lugar do outro. Ingles avançado para quem nunca estudou ingles, vamos la. “Sou brasileira e nao desisto nunca” Faço os trabalhos como todos os alunos. Tive apenas uma concessao: no dia da prova escrita, a professora deu cinco textos relacionados a “Tecnologia de energia solar” para fazermos uma redaçao sobre o assunto. Para mim, concedeu o direito de usar a internet para traduzir os textos.

Eu apresento textos oralmente, lendo, sem saber pronunciar, as vezes me sinto ridicula, mas continuo, nao desisto. Se é um desafio ou um aprendizado para a vida, uma liçao para mim, nao sei.

No dia 9 de junho era minha vez de contar uma estoria. Esta estoria começou no segundo dia de aula, com tres personagens (dois homens e uma mulher). A cada semana um aluno continuava a estoria a partir do momento em que o outro parou.

Uma noite, eu acordei com o pensamento voltado para a minha estoria. Preocupada, pensei: mas o que vou fazer? Nao sei nada.
Dormi, e no dia seguinte acordei com a imagem do filme Titanic na minha mente. Entao comecei a pensar minha estoria teria que ter uma ligaçao com o filme. Entrei na internet, e fui procurar o filme. Pesquisei os personagens, ouvi a musica e mais tarde assisti o filme novamente.

E surgiu a ideia de representar. Criar um personagem para contar minha estoria.
Novamente o termo “representatividade” agora do outro lado, o lado “inconsciente” do termo.
Eu mergulhei na busca do meu inconsciente para representar. O filme eu conheço, a musica eu conheço e o personagem que escolhi “Rose” eu conheço. Estas representaçoes estao na minha memoria desde pequena. Inconscientemente fazem parte da minha estoria de vida. Quem nao teve uma avo? Quem nao viveu um grande amor? Quem nao se sensibilizou com uma bela cançao? Quem nao se emocionou com o filme “Titanic”.
Agora conheço meu “campo de açao”.
A partir deste dia, depois de um mes de aula, pela primeira vez,n me senti feliz e pensei EU POSSO, vou fazer. Comecei a acompanhar as estorias dos outros alunos e na minha mente a minha estoria ia criando contornos. Contratei uma colega do curso para me dar algumas aulas de ingles, o basico (pronomes e verbos no passado, futuro e presente) estudei 30 horas com ela. Escrevi meu texto em portugues, depois em frances e finalmente em ingles. Pedi para algumas pessoas lerem e corrigirem. Fui fazer um cursinho de 2 horas de maquiagem, aprendi a fazer “envelhecimento” de pele para o teatro. Comprei uma peruca, um vestido meio verde musgo, como o personagem de Rose no filme Titanic
Interpretei a mulher das estorias contada pelos alunos nas semanas anteriores, mas agora idosa Escrevi minha estoria com o titulo O TUNEL DO TEMPO.
No dia da apresentaçao, sai da minha casa maquiada e vestida como Rose. Entrei no banheiro feminino e fiquei la. Uma colega do curso chegou mais cedo, colocou o computador na mesa. Combinamos que quando todos os alunos e a professora entrassem, ela colocaria a musica com as imagens do filme e ligaria do seu celular para que eu pudesse ouvir que “ a representaçao começou”. Depois ela colocaria uma cena que que Rose aparece e olha para o seu desenho maravilhoso e começa a contar sua estoria. Ela para o filme nesta cena para, e so entao eu entro na sala. Maquiada e vestida.
Ela me faz uma pergunta: Mammy tells me how you met Pappy?
Eu sento e começo a interpretar minha estoria. Lendo, gesticulando e conversando comigo mesma, EM INGLES!!!!!!!!!
Hoje, estou ADMIRADA !!!!!!
Admirada com a vida, que grande Escola!!!!!!!!
Hoje eu dei um novo sentido para a musica My heart wil go on com Celine Dion.
Ao representar a velhinha Rose para a turma do primeiro ano do curso de Ciencias de Informaçao e Bibliotecas, houve um momento magico, novo.
Um outro angulo, outra dimensao surgiu. Os alunos aplaudiram e a professora disse em frances “Magnifique Sonia Mara.

Talvez, eles poderao fazer uma reflexao sobre isto, assim como eu estou fazendo agora.Este é o misterio. Descobrir, em cada momento, este olhar diferente, especial sobre a vida de cada um de nos. Momentos de plena descoberta........

Alguem mudou, um coraçao se enterneceu, um sorriso apareceu, tivemos um momento de encanto e sonho!!!!!!!! O amor esteve presente naquele momento.
Sera este o proposito de Deus para nossas vidas ?
Mostrar o amor desta forma, um pouco diferente.... Quem sabe?



Referencia Bibliografica
JODELET, Denise. « Représentation sociale : phénomènes, concept et théorie » in Psychologie Sociale sous la direction de S. Moscovici. Paris, Plif, 4.éd. 1992. P. 357-386.

Nenhum comentário:

Postar um comentário